« Back Record Document

Mulheres afrodescendentes na América Latina e no Caribe: Dívidas de igualdade

2018-10-18

LC/TS.2018/33

Resumo .-- Introdução .-- I. As mulheres negras e afrodescendentes: o longo caminho para serem reconhecidas como sujeitos de direito .-- II. Autonomia econômica das mulheres afrodescendentes .-- III. Autonomia física das mulheres afrodescendentes .-- IV. Autonomia na tomada de decisões das mulheres afrodescendentes .-- V. Reflexões finais.

As múltiplas desigualdades vividas historicamente pelas mulheres afrodescendentes na América Latina e no Caribe fazem parte de um complexo sistema de discriminação estrutural legado pelo passado colonial escravista. O panorama regional sobre os efeitos da interseção das diversas formas de discriminação evidencia que a maioria das mulheres afrodescendentes ainda carece dos recursos socioeconômicos e de poder necessários para obter autonomia física, econômica e na tomada de decisões. Vincular o combate ao racismo com a superação da discriminação de gênero e a busca da autonomia das mulheres afrodescendentes exige assumir como sociedade os grandes desafios para seu reconhecimento individual e coletivo como sujeitos de direitos.

Comisión Económica para América Latina y el Caribe (CEPAL) - Biblioteca Hernán Santa Cruz

Mirian Ramirez

Biblioteca CEPAL, Edificio Naciones Unidas, Av. Dag Hammarskjold 3477, Santiago, Chile

(+56-2) 2210-2337

Desarrollado por: Aikyu-Systems